• Apenas considerações despretenciosas - Carla Cristina

  • O menino poeta - Carlos Drummond de Andrade

  • Protesto é a forma mais legítima de lutar contra a injustiça - Maquito Pira

sexta-feira, dezembro 12, 2014

Nosso último post!


Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão
Glória Hurtado

“Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram. Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações? Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu....Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado. Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar. As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais. Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal". Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará! Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és. E lembra-te: Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão.”

(Gloria Hurtado)


Olá queridos e queridas desse espaço virtual que há muito já chegou ao seu tempo “final”. Nada melhor do que a poesia que tanto nos inspirou para encerrar e explicar (?) esse tempo. Nunca escrevemos por obrigação, por ibope, por dinheiro. Sempre priorizamos o relacional, a individualidade e a singularidade de cada uma das “Meninas do Reino” e hoje somos meninas crescidas, embora sempre meninas, embora sempre do Reino Dele, amadas e amparadas nos braços Dele que é e ponto final.

Hoje cada uma com suas escolhas, caminhos, prioridades. Algumas dando continuidade às atividades virtuais, outras mais focadas no “real”. Não importa! Importante mesmo é sabermos fechar portas, reconhecer ciclos – iniciais e finais e esse blog tem agora o seu “The End”, o seu “That’s all, folks!”, o seu “gran finale”, talvez sem o “gran”... risos. O que importa é que é preciso embalar em laço de fita e com toda a ternura do coração esse espaço que tanto fez por nós e por muitos próximos ou distantes de nós.

O site continuará no ar, flutuando como uma cápsula de um tempo de recordação, como jóia guardada em caixinha de veludo. Algo a ser recordado, discordado mas que foi plenamente vivido e amado.

Creio que todos têm acesso aos canais de comunicação de cada uma das componentes do blog e qualquer coisa nos escrevam por aqui. Em algum momento prometemos vir “espiar”.

A página do Facebook será deletada ou ficará como este espaço aqui, embalada, lacrada. Sem movimentos! Agradecemos as quase 10 mil curtidas por lá e ao mais de meio milhão de pessoas que passaram em nosso blog/site por aqui. Aos amigos e (i)nimigos conquistados (risos). Enfim, já escrevi demais, assim como costumo falar demais, sentir demais,  sou ou somos todos um pouco “over, baby”!

Com amor e gratidão,

Roberta Lima
12/12/2014

sexta-feira, setembro 12, 2014

O céu de Nina

















Semanas, meses inteiros, um ano.
A primavera, o verão e suas emoções.
Risos que se transformam em gargalhadas sem fim.
Sonhos compartilhados, orações diárias, amizade vivenciada.
Músicas favoritas, poemas, filmes e livros marcantes.
Fé, jornada compartilhada com dúvidas e as conquistas.
Delicadeza, sinceridade e aquele “olhar bom” sobre os demais.
Histórias da vida, generosidade e fé simples na prática.
Blog, redes sociais e telefonemas de infinitos minutos.
Amizade que se consolida na celebração do que é sagrado.
Os ipês amarelos, as flores delicadas, o azul do céu de Nina.
Tudo quanto o Eterno fez para ser abraçado.

Mana querida, hoje eu celebro a sua vida!
Abraço de urso.

#2 Andréa Cerqueira
@acspira










terça-feira, setembro 09, 2014

O amor pode nos machucar

Imagem: Tumblr

Sou movida por música. Frequentemente sou aquele tipo de pessoa que ouve a mesma canção uma centena de vezes, até absorvê-la. Aconteceu hoje.

Ouvi uma canção que, traduzida, dizia: “Amar pode machucar, amar pode machucar às vezes, mas é a única coisa que conheço”. E qualquer que seja o nível de amor que usemos como exemplo, é verdade, amar pode machucar. Acertando e errando, já aprendi que o amor humano é imperfeito.  Creio que somente o amor divino expresso na cruz de Cristo é capaz de nos completar, pois todos os demais amores, familiares, fraternos e românticos, podem nos machucar. E pior ainda, é que podemos machucá-los também. Já estive dos dois lados da moeda em todos esses níveis de relacionamentos, errei e erraram comigo. O fato é que estamos sujeitos a decepções e, por ironia, elas costumam ser uma generosa escola de aprendizado.

Acredito que a grande questão não está em machucar ou ser machucado, mas em nunca mudar o status de uma ou outra condição. É preciso que haja mudança de atitude. Não raramente, encontro pessoas com origem, cultura, oportunidades e experiências distintas na vida, mas que têm em comum o alimentar “eternamente” seus corações partidos. São incapazes de abandonar a decepção e seguir adiante. Contudo, não desdenho a dificuldade de recuperação de um amor desfeito, mas creio em sua possibilidade. O mal está em apegar-se a um amor como se a própria dor fosse capaz de fazê-lo renascer, puro e forte, no coração do outro outra vez. É o tipo de sentimento que adoece a alma. Há quem nunca mais volte a experimentar o amor.

Ouvi ainda na canção: “Amar pode curar, amar pode consertar a sua alma, e ele é a única coisa que eu conheço”. Se o amor pode nos machucar, é verdade que ele mesmo pode nos curar. Amar pode ser veneno e, igualmente, pode ser antídoto. Não importa que tipo de amor foi partido, a decepção pode ter sido causada por seus pais, filhos, algum amigo ou ainda,  por seu  par romântico. Para quem partiu seu coração, é preciso oferecer-lhe perdão, porque é importante que haja em você humildade o bastante para perdoar e se recuperar. Por outro lado, você pode ter causado essa dor, de modo que é imprescindível que haja em você humildade o suficiente para se desculpar com sinceridade, aprender com seus erros e não arrastar-se pelo caminho restante se desmanchando em culpa. Algumas vezes é necessário perdoar-se antes de prosseguir. Por fim, não dá para garantir que jamais seremos os algozes de um amor ou vítimas dele e, ainda assim, é preciso arriscar.

-----------
ao som de “Photograph” – Ed Sheeran
#2 Andréa Cerqueira - (@acspira)



terça-feira, agosto 12, 2014

Parabéns, amiga!!!!


 
Meu coração está em festa, celebrando o aniversário de uma amiga mais do que especial!!!

Presente de Deus para minha vida!

Feliz niver, Carlinha!!! Minha amiga poetisa, cuja alma se ligou a minha e eu a amo como amo a minha própria alma.
Como explicar um sentimento que não tem explicação?
Como traduzir em palavras tudo o que eu sinto, desejo e quero para você?

“Eu te amo porque te amo. - diria Drummond.
Amor é estado de graça ...
Amor é dado de graça, ...
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários".

Obrigada por me permitir fazer parte da sua vida e por me permitir caminhar contigo!
Enfim, obrigada por me apresentar o Meninas do Reino... por me fazer conhecer tanta gente boa com as quais eu amo caminhar por aqui...
Você é uma inspiração de vida para mim!!! 

Um beijo nesse coração lindo!

 

segunda-feira, agosto 11, 2014

Preciso de coragem


Preciso de coragem... 
Coragem pra virar a página 
Coragem pra chutar o balde 
Coragem pra desprezar o que me faz mal 
Coragem pra botar o medo pra correr 
Coragem pra chorar 
Coragem pra rir Preciso de coragem... 
Coragem pra sentir dor 
Coragem pra acreditar 
Coragem pra desacreditar 
Coragem pra ter coragem 
Coragem pra não ter coragem 
 Preciso de coragem 
Coragem pra viver 
Coragem pra sobreviver 
Coragem pra resistir 
Coragem pra desistir 
Coragem pra me lançar 
Coragem pra me aquietar 
 Preciso de coragem 
Coragem pra prosseguir 
Coragem pra parar 
Coragem pra correr 
Coragem pra respirar 
Coragem 
 Coragem 
Coragem

terça-feira, agosto 05, 2014

Contudo...! Eu escolho caminhar pela Tua Palavra.

Um dia, uma pessoa me falou: "O mal mora na porta da necessidade."

Parei, pensei.
Sim. Verdade.

Mora na porta da necessidade (daquelas relacionadas às carências intrínsecas do ser humano como fome e sede).
Mora na porta da fragilidade (ainda que momentânea).
Mora na porta da carência afetiva e/ou emocional.
Mora na porta da insegurança e do medo.
Mora na porta dos "gatilhos" gerados pelos traumas psicoemocionais.
Mora na porta das dores não curadas que vão deixando as suas marcas profundas na alma de cada um.

É por estas "portas" que ficamos, muitas vezes, vulneráveis ao mal.
É nesta hora que podemos fazer a tolice de querer "transformar pedras em pães" para ver a necessidade imediata resolvida ou o capricho da alma atendido. É nesta hora que os meios correm risco de serem relativizados para que se alcance o fim desejado: a satisfação imediata do desejo.

Contudo!
Contudo "nem só de pão viverá o homem, mas de toda Palavra...!", disse Jesus.

E quando me refiro ao mal, refiro-me à prática dele.
Refiro-me ao que Ele chama de mal, ao que Cristo afirma ser o mal.

Parei, pensei.
Lembrei de um conselho importante de uma pessoa, pra mim, importante.

Certa vez, uma das minhas irmãs, em consonância com o ensino do Mestre, falou-me: "Guarde sempre seu coração do mal, PRINCIPALMENTE de praticá-lo!"


Lâmpada para meus pés é a Tua Palavra.
E Luz para o meu caminho. - Salmo.

- Carla Cristina Luna Accioly

quarta-feira, julho 30, 2014

Ele ainda é: Amigo de publicanos e pecadores...



Eu que já me senti algumas vezes como aquele paralítico, cheio de dores e pecados, levado pelos amigos aos pés do Mestre Amado, recebendo perdão para levantar e enfim viver. 

Também já fui Tomé e me vi incapaz de crer na realização de sonhos antigos, mortos pela falta de esperança, pelas tentativas frustradas, pelo esforço inútil que não deu em nada, e como Marta eu te ouvi dizer: "Andas muito inquieta e te preocupas com muitas coisas; no entanto, uma só coisa é necessária"... escolha a boa parte e esta não te será tirada. 

E depois do choro, da espera, do desespero e lamento pelos sonhos que eu sepultei, ouvir do mestre após 'quatro dias': "Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá". E, perceber, enfim, que um dia o choro passa. Um dia aquilo que parecia perdido, que estava morto, apodrecido, ouve a voz da vida e ressuscita dentro de nós. Que, embora, alguns dias pareçam durar mil anos, tamanha a dor e agonia de quem com lágrimas semeia no chão da vida, ainda permanece uma esperança longínqua de colher com júbilos o pranto que se tem semeado.

Eu também já me senti Pilatos, não vi a Verdade, cega pela religião e politicagem, lavei as minhas mãos e até os pratos, por não saber o que fazer. Mas, como aquele cego de nascença enviado ao Tanque de Siloé, fui por Ti encontrada, pude ver a tua Maravilhosa Graça, eu que era cega pude finalmente ver. 

Como não podia deixar de ser... já fui Pedro tantas vezes... e sinto que ainda te nego, mesmo sem querer. Nego-te quando ignoro os preceitos mais importantes da tua lei: o amor, compaixão, perdão, misericórdia. Nego-te quando não consigo te ver no meu irmão, no meu amigo, num parente desconhecido, num próximo que de tão próximo, às vezes, fica distante demais para o meu egoísta amor. Nego-te quando não esqueço o mal que me fizeram e atiro no outro as pedras que foram deixadas aos pés de quem já me perdoou. 

Mas, mesmo assim te fizestes meu amigo, quando te tornastes, em tempos idos: Amigo de publicanos e pecadores.



Beatriz Pereira

domingo, julho 20, 2014

A Amizade

Por Rubem Alves

Lembrei-me dele e senti saudades... Tanto tempo
que a gente não se vê! Dei-me conta, com uma intensidade incomum, da coisa rara
que é a amizade. E, no entanto, é a coisa mais alegre que a vida nos dá. A beleza da poesia, da música, da natureza, as delícias da boa comida e da bebida perdem o gosto e ficam meio tristes quando não temos um amigo com quem compartilhá-las. Acho mesmo que tudo o que fazemos na vida pode se resumir nisto: a busca de um amigo, uma luta contra a solidão.

Lembrei-me de um trecho de Jean-Christophe, que li quando era jovem, e do qual nunca me esqueci. Romain Rolland descreve a primeira experiência com a amizade do seu herói adolescente. Já conhecera muitas pessoas nos curtos anos de sua vida. Mas o que experimentava naquele momento era diferente de tudo o que já sentira
antes.

O encontro acontecera de repente, mas era como se já tivessem sido amigos a vida inteira. A experiência da amizade parece ter suas raízes fora do tempo, na eternidade. Um amigo é alguém com quem estivemos desde
sempre.  Pela primeira vez, estando com alguém, não sentia necessidade de falar. Bastava a alegria de estarem juntos, um ao lado do outro.

“Christophe voltou sozinho dentro da noite. Seu coração cantava ‘Tenho um amigo, tenho um amigo!’ Nada via. Nada ouvia. Não pensava em mais nada. Estava morto de sono e adormeceu apenas deitou-se. Mas
durante a noite foi acordado duas ou três vezes, como que por uma ideia fixa. Repetia para si mesmo: ‘Tenho um amigo’, e tornava a adormecer.”

Jean-Christophe compreendera a essência da amizade. Amiga é aquela pessoa em cuja companhia não é preciso falar. Você tem aqui um teste para saber quantos amigos você tem. Se o silêncio entre vocês dois lhe causa ansiedade, se quando o assunto foge você se põe a procurar palavras para encher o vazio e manter a conversa animada, então a pessoa com quem você está não é amiga. Porque um amigo é alguém cuja presença procuramos não por causa daquilo que se vai fazer juntos, seja bater papo, comer, jogar ou tramar. Até que tudo isso pode acontecer. Mas a diferença está em que, quando a pessoa não é amiga, terminado o alegre e animado programa, vêm o silêncio e o vazio - que são insuportáveis. Nesse momento, o outro se transforma num incômodo que entulha o espaço e cuja despedida se espera com ansiedade.

Com o amigo é diferente. Não é preciso falar. Basta a alegria de estarem juntos, um ao lado do outro. Amigo é alguém cuja simples presença traz alegria independentemente do que se faça ou diga. A amizade anda por caminhos que não passam pelos programas. 

Uma estória oriental conta de uma árvore solitária que se via no alto da montanha. Não tinha sido sempre assim. Em tempos passados, a montanha estivera coberta de árvores maravilhosas, altas e esguias, que os lenhadores cortaram e venderam. Mas aquela árvore era torta, não podia ser transformada em tábuas. Inútil para os seus propósitos, os lenhadores a deixaram lá. Depois vieram os caçadores de essências em busca de madeiras
perfumadas. Mas a árvore torta, por não ter cheiro algum, foi desprezada e lá ficou. Por ser inútil, sobreviveu. Hoje ela está sozinha na montanha. Os viajantes se assentam sob a sua sombra e descansam.

Um amigo é como aquela árvore. Vive de sua inutilidade. Pode até ser útil eventualmente, mas não é isso que o torna um amigo. Sua inútil e fiel presença silenciosa torna a nossa solidão uma experiência de comunhão. Diante do amigo sabemos que não estamos sós. E alegria maior não pode existir.

(Correio Popular, 1991 ou 1992)

´´´´´´´´´´´´´´´´´´
Rubem Alves nos deixou neste mês, um dia antes do Dia do Amigo. Contudo, sua obra perpetuará e com certeza vai continuar encantando gerações.

FELIZ DIA DA AMIZADE!

sábado, julho 19, 2014

Feliz Aniversário mana, você merece!



Noh, minha mana, Feliz Aniversário!

Desejo que seu dia e em todo o seu novo ano de vida, sempre haja:

Olhos bons, para continuar enxergando tudo com esperança.
Fé, para motivá-la a continuar sempre e sempre.
Sabedoria, principalmente quando for preciso decidir sobre algo.
Música, para aquietar ou inspirar a sua alma.
Paixão, para que tudo seja colhido com primor.
Gargalhadas, para tornar qualquer desafio mais fácil de vencer.
Poesia, para que continue a escrever com doçura.
Novos Sonhos, para o "um dia de cada vez".
E com novos sonhos, que aconteçam as boas realizações.
Amizades sinceras, para compartilhar a jornada da vida.
O seu Anjo, que te faz ser uma pessoa ainda mais incrível.
E AMOR, muito amor mesmo, para você brilhar ainda mais!


SVMA Nohzinha! Seja feliz, hoje e sempre!

Amoreka

quarta-feira, julho 09, 2014

Mais que 7 motivos para chorarmos



É, mais uma vez, em mais uma Copa do Mundo, a torcida brasileira chorou. Homens, mulheres e crianças se decepcionaram e choraram, humilhados. A humilhação se deu por conta do placar, o pior na história da Seleção Brasileira de Futebol em Copas, 7x1 para os alemães. Um placar que faz a derrota na final de 1950 para os uruguaios, em casa, quase insignificante. É verdade que ainda haverá o jogo pela disputa do terceiro lugar, e ainda que vençamos, ainda que haja algum consolo com a terceira colocação, como esquecer um placar desses?

Acredito que no esporte e na vida a questão está justamente aí, não é para esquecer. Não podemos ignorar as nossas fraquezas, tampouco as nossas derrotas. Aprender a se dedicar, trabalhar por melhores resultados, se aprimorar e exercer o aprendizado da melhor forma possível, são lições que todo esporte nos ensina. Desde crianças, quando somos incentivados a praticar esportes, é jogando que aprendemos a lutar para ganhar e a aceitar a derrota quando perdemos. Mas sempre somos lembrados das lições que a derrota nos impõe.

Há questões importantes para se aprender com a derrota de ontem no futebol. No âmbito esportivo, vimos de um lado uma seleção alemã primorosa, dedicada, humanizada do lado de fora do campo, aplicada do lado de dentro. Planejamento, eis algo que a seleção alemã desenvolveu. Eles planejam serem tetracampeões mundiais de futebol e estão em busca desse objetivo há algumas copas. Para o mundial deste ano, planejaram o Centro de Treinamento exclusivo, construído para essa ocasião no sul do estado da Bahia. Boa parte dos jogadores alemães já jogam pela seleção há mais de cem jogos. É um time que sabe o que quer e, mais importante ainda, está unido e taticamente dedicado para um objetivo em comum. Eu não duvido que eles consigam. A verdade é que os alemães são e provaram ontem a sua superioridade no futebol atualmente. E para quem é apaixonado por futebol, dá gosto de ver os alemães jogarem, como foram os espanhóis em 2010.

Do outro lado nós, brasileiros, tivemos certeza do que temíamos, pensávamos ter uma Seleção Brasileira de Futebol com alta qualidade e um bom técnico, com um bom planejamento. Acontece que fomos e estamos enganados. É aquele famoso "parece, mas não é". Claro que ficamos muito otimistas com a conquista da Copa das Confederações no ano passado, afinal, derrotamos a favorita seleção espanhola na final e sobraram motivos para acreditarmos que estávamos prontos para a grande conquista mundial e o tão sonhado hexacampeonato. Não foi dessa vez, quem sabe na próxima?

Creio que alguns de nossos jovens jogadores estarão mais maduros, com mais jogos pela nossa seleção e com uma experiência que lhes permitirá maior concentração e aplicação tática na próxima Copa. Mas espero que tenhamos planejamento, uma tática eficiente e os jogadores certos. Anseio para que não tenhamos como técnico alguém que seja obstinado com suas escolhas, ao ponto de morrer com suas convicções e afundar consigo o sonho dos atletas e de duzentos milhões de torcedores. Mudar é preciso, se um jogador não está rendendo na seleção o que deveria, tem que haver oportunidade para os substitutos. É preciso mudar também de esquema tático quando necessário, afinal, de que adianta analisar como joga o adversário se vamos entrar em campo jogando sempre da mesma maneira? Infelizmente o nosso atual técnico é assim, ele faz suas escolhas e morre com elas, ainda que isso representa ser um fiasco.

É verdade que fomos humilhados naquilo que mais nos orgulhamos, no que estamos acostumados a sermos bons, sempre entre os melhores. O futebol, para milhares de brasileiros, é religiosamente sagrado. Mas haveremos de secar nossas lágrimas e, em quatro anos, sonharemos novamente. Só espero que, entre essa e a próxima Copa, aprendamos um pouco mais com o sabor amargo da derrota e da humilhação e, quem sabe, em 2018 tenhamos menos motivos para lamentar dentro e fora dos gramados.

-------------
#2 Andréa Cerqueira - torcedora apaixonada e sofredora.
(@acspira)

terça-feira, julho 08, 2014

Bendito #FF



Há alguns anos atrás eu estava usando o Twitter, recordo-me que a rede social tinha virado uma febre e os brasileiros, como sempre fazem com redes sociais, utilizavam seus tweets de modo frenético, alguns eram chatos mesmo, muito chatos, criaram o hábito de narrar cada passo de suas ações, como por exemplo, "Peraí galera, vou ali escovar meus dentes e já volto!". Celebridades de 140 caracteres, pelo menos assim pensavam estes.

A rede estava em pleno crescimento e havia conquistado o coração do povo que mais publicava conteúdo em redes sociais, os brasileiros. E havia muita coisa boa, informações interessantes e até mesmo bate-papo descontraído, o que tornava o Twitter uma rede bacana de se usar. Mas não era fácil separar conteúdo bom de conteúdo ruim, uma vez identificado um usuário que enchia a sua TL (time line) com baboseiras, unfollow nele. Eu queria seguir pessoas interessantes, que produzissem um conteúdo que valesse o meu tempo, mesmo que fosse no período do ócio criativo, ou da distração mesmo. Seguindo a hashtag #FF (follow friday), literalmente traduzida por "siga sexta", que consistia em, na sexta-feira, indicarmos pessoas que nossos seguidores também deveriam seguir, comecei a seguir a Carla Luna, isso porque entrei na TL dela e me amarrei nos tweets. Uma mention depois e ela interagiu. Alguns tweets depois, me indicou para seguir uma amiga sua, era a Roberta Lima. Confiei na indicação, follow na Roberta e minha vida nunca mais foi a mesma. Tive e tenho o privilégio de ser amiga dessa "mulher-menina" ou "menina-mulher" há alguns anos e de tê-la como minha "mana de coração".

Falar sobre a Rô, que é como eu a chamo, é muito fácil, mas ainda assim é bastante desafiador, porque você tenta encontrar palavras adequadas que possam expressar a importância desse alguém em sua vida. Minha mana é alguém que sabe ser Menina do Reino, acredito que isso já faz parte do seu DNA, de quem ela é por natureza. Seu coração não pertence mais a nenhuma denominação evangélica, porque o próprio Evangelho a libertou do que a oprimia antes. Seu coração é do Reino de Cristo e é por ele que ela fala, discursa e escreve. E sempre que escreve, seja uma poesia ou uma crônica, suas palavras edificam a minha alma e iluminam a minha jornada, porque o que ela expressa sobre o Reino, sendo Menina ou Mulher, produzem vida e luz.

Minha mana sabe falar carinhosamente como amiga, sabe gargalhar e brincar com as palavras e também sabe dar um puxão de orelhas com sabedoria. Minha amizade já provou todos esses aspectos multifacetados da amiga Rô. E como é bom poder compartilhar de sua amizade, experiência e loucura do dia-a-dia de quem é brasileira e não desiste nunca, de quem batalha, arregaça as mangas e vai à luta. De quem não se cansa de aprender e, mais ainda, não se omite em transferir aprendizado.

Bendito o #FF e bendita também seja a vida da mana Carlinha pela indicação. Aquele #FF produziu frutos que não caberiam em 140 caracteres, mas a eternidade saberá expressá-los.

Rô, amo a tua vida, seja FELIZ hoje e sempre!

SVMA
Déinha
=]

Ela, Roberta-que-joga-estrelas!

Ih!
Muito fácil estar aqui hoje.
Abri o blogger... pah... Nem pensei no conteúdo do texto, pois já está tudo pronto no coração o tempo todo.
Sabe, tem gente que aparece na nossa vida e suscita de nós o melhor de nós.
Roberta. Ela. Linda. Doce.
Ela é Poesia mesmo quando olha pedra e vê pedra. #adeliaprado
Com ela, partilho meu caminho. Irmanadas que somos, abraçadas de alma e coração.
Lembro dela e reconheço que a presença dela na minha vida é um sacramento da Graça de Deus.
Assim, cuido de cuidar dela, pois, assim, honro a Deus.
Daqui, desse meu jeito muito Carla Cristina, pra ela, que é muito Roberta Lima, vai uma afeição especial.
Hoje, ela faz aniversário. Já não conto mais quantos comemoramos juntas. Já virou parte da vida comemorar, celebrar e me alegrar com ela nesse dia.
Amiga, teria tanto, ainda!
Você passeia no céu do meu coração jogando sobre ele as suas estrelas.
Metaforazinha simplória, essa minha. Real, contudo. Porque caminhar contigo é algo feliz e as estrelas deixam o céu tão lindo!
Parabéns, amiga!
Que seu dia seja cheio de alegria e paz e festa!
Daqui, do outro extremo deste país, estou perto de você. Sim! Porque distância, pra essas coisas, é relativa!
Te amo!
Ps.: Me conte... E a prova de Epistemologia? (risos!) ;)







quinta-feira, julho 03, 2014

É sempre tempo de recomeçar...




O que é o des-espero senão o cansar-se da esperança,
quando a espera parece que nunca alcança,  quando a alma se cansa de tanto esperar.

 
E o que se tem é solidão, é quietude, silêncio que não pacifica, 
silêncio que mudo grita, alma cansada e aflita, sem lugar para repousar.

 
Faz-se uma prece silenciosa, olhos molhados, alma sequiosa,
o silêncio é a resposta, no céu estrelas a brilhar.


Em tempos de des-esperança,
em Deus minha alma espera, só nele minha alma descansa.

Aprende-se a partir o pão quando o que se tem é solidão,
respeita-se a dor alheia, quando percebe-se que é sangue que corre na veia.

 
Quando o dia chega e sobrepõe a madrugada,
muda-se a estação da vida, alma fica humanizada.

 
Por aqui é primavera, verão, outono e inverno,
por aqui não é eterno, é sempre tempo de recomeçar...
 
 
Beatriz Pereira
 

segunda-feira, junho 30, 2014

Antigas vitórias


Há um poder destrutivo nas antigas vitórias. Algo que nos faz pensar que que são eternas e que podemos revivê-las sempre que as lembrarmos.

Nos aquecemos pensando em como aconteceram, como se  ainda existissem e merecessem total atenção e respeito.

Infelizmente, as conquistas têm curto prazo de validade; esfarelam-se após alguns poucos meses.
Se venceste há cinco meses em algo, hoje já não as possui mais.
Essa é a regra.

Não. Por favor, não pense que isso é cruel ou rude. A vida tem seus motivos de ser assim.
Precisamos de novas conquistas, novos assuntos, novas maneiras de ser nós mesmos sempre. Precisamos ter conosco desafios que nos impulsionem a fazer mais e melhor. É por isso que deprecia-se quem vive os tempos passados somente.

O antigo provérbio iídiche tem suas razões em dizer:

'O homem é o que é, não o que foi.'

Então seja.
Seja, na conjugação mais presente do verbo.
Seja o seu melhor todos os dias.
Pois viver pode até parecer, mas não é atemporal.


Um beijo,
Lu.

quarta-feira, junho 25, 2014

Porque o Reino é um reino de amigos... e alguns são mais chegados do que irmãos.



"Quem aumenta o número de amigos é sábio". (Provérbios 11: 30b)

Penso que essa é, e, sempre será a melhor tradução para o texto de Provérbios, ao invés, de o tão famigerado e já desgastado texto "quem ganha almas é sábio".

Se bem que fazer amigos é, necessariamente, "ganhar a alma" de alguém, mas por razões que são minhas, eu prefiro muito mais dizer: é muito sábio fazer amigos.

Fazer amigos, ter amigos, e, principalmente, ser amigo...

Tenho amigos que de tão próximos assemelham-se a irmãos, há amigos com os quais eu me encontro pouco, mas tenho-os sempre no meu coração. Ter um amigo é converter o seu coração a outro coração, é permitir-se ser habitado pelo ser de outro alguém.

Amizade é uma conexão inexplicável de almas que nos completa e nos acalma, nos faz querer seguir em frente.

Procuro não ser um peso desnecessário para os meus amigos.

É um prazer enorme para mim conhecer os amigos dos meus amigos.Tenho amigos que me ajudaram a levantar quando os problemas e as aflições da vida tentaram de alguma forma me paralisar. Outros me ajudaram a enxergar quando as muitas lutas e decepções tentaram turvar a minha visão.

Meus amigos são muito importantes para mim, mas entendo perfeitamente que eles têm suas prioridades e não vivem especificamente para mim.

Já tive amizades que me desconstruíram, me fizeram ver em mim traços de uma personalidade que eu até então desconhecia. Outras amizades me construíram, me fizeram querer ter em mim qualidades que eu nem sabia que existiam.

Sim! Há muita sabedoria no fazer amigos e preservá-los, no conhecer tantas pessoas tão diferentes de mim e desenvolver com elas uma relação de amor, respeito e cuidado. Eu me conheço nesse processo de interação, aprendo a não ultrapassar os limites do bom senso, torno-me uma pessoa mais generosa, me humanizo. 

Disse o poeta: "Eu poderia, embora não sem dor, perder todos os meus amores, mas enlouqueceria se perdesse todos os meus amigos."

Eu enlouqueceria de qualquer forma, meu amor é um dos meus melhores amigos.

Beatriz Pereira


E... Beatriz chegou! Oi, Menina Bia!


Olá, queridos!

Este post é por mais um motivo de festa!
Sim! Porque agora temos a Bia entre nós.

Este é pra dizer a vocês que Beatriz Pereira agora integra nosso pequeno mundo, mas que é gigante dentro de cada uma de nós.

Bia, querida, estamos felizes por sua chegada e ansiosas por te ler!

Sinta-se abraçada por cada uma de nós e recebida com alegria!

Este 'reino' aqui é seu também.
Um beijo, Bia, Menina do Reino!
- Carla Cristina Luna Accioly.



terça-feira, junho 24, 2014

Minhas perdas são ganhos para mim


Das muitas perdas que tive na vida,
dos tantos caminhos nos quais me perdi,
das oportunidades que foram perdidas, das portas que eu nunca abri,
dos abismos nos quais me lancei na esperança do paraíso encontrar,
nas estradas por quais eu andei sem caminho nenhum encontrar,
do medo que me paralisa, das muralhas que um dia ergui,
da esperança que ainda me motiva, do teu Amor que impele-me a Ti,
que os meus olhos não se percam dos Teus,
que a tua boa mão esteja sempre a me conduzir,
Tu ressignificas meu passado. Em ti as perdas são ganhos para mim.



Beatriz Pereira

quarta-feira, junho 18, 2014

Considerando II.


Insisto: que todo caminhar seja "distraído" por causa da certeza de que o Eterno cuida de cada vida.
Digo "distraído" no sentido de leve.
Leve pela confiança n'Ele.
A confiança que nos leva à paz que vai pra além de qualquer entendimento, apesar das dores e dores e dores inerentes à existência.

A nós, que existimos, diz o Sábio: até no riso o coração sente dor.
Assim é a existência debaixo deste sol.

Se cada um puder acalmar um coração agitado que caminha 'ao lado', que o faça.
Se cada um puder 'dar ar' a alguém que, ora, se 'afoga' pelas demandas da existência, que o faça.
Se cada um puder se alegrar com quem está alegre, que o faça.
Tudo isso traz muitas curas pra o coração.

A alma do outro é 'terra santa'. A de cada um. A minha. A sua.
Há que se 'tirar as sandálias dos pés' e vestir-se do Amor pra 'adentrar-se' nela.

Que cada um olhe, neste caminhar pela existência, pra seus próprios pés e veja. Veja que os seus próprios pés, certamente, estão sujos da poeira da estrada, porque todos sujam os pés enquanto caminham.
Lavemos os pés uns dos outros, pois.

A 'nudez' do outro se encobre, não se expõe.
A quietude do outro, a minha, a sua, é porto pra alguma alma inquieta ancorar.
A confiança não deve ser maculada, contudo, se for, que haja perdão.
A gratidão no coração cura amargura e tristeza.

Ouvir mais é sempre melhor.
Falar com propriedade e no tempo certo é sabedoria.
Aprender a calar na hora devida é necessário, é virtude adquirida.

Conferir 'coisa com coisa' no coração é uma das atitudes que nos salvam pra uma existência mais amena. Pois é possível, assim, discernir mais precisamente momentos e tempos e, então, tomar decisões que conduzem à vida e fazer escolhas acertadas.
De aflições ninguém está imune. Temos 'sol' e 'chuva' sobre todos.
No entanto: "Tende ânimo!" - disse Ele - "Estarei com vocês o tempo todo, até o fim!" - completou.

-
Considerando I.


Eu tenho a certeza de que não entendo tudo isso, assim, sozinha.
Há outros que 'sonham' comigo.
Teria mais.
Volto por aqui.
- Carla Cristina Luna Accioly


sexta-feira, junho 06, 2014

Uma poesia para Deus




Deus,
Peço-te:
Interpreta-me.

Não leia apenas as minhas palavras;
Elas são poucas,
Frágeis,
Quebradiças.

Cá, dentro, tem um mundo:
(Quase sempre)
Inabitado.
(Quase sempre)
Incompreensível.


Sei que habitas no secreto,
Nos dias em que não há;
Nos cantos intocáveis,
Nos acontecimentos invisíveis.

Por favor, peço-te:
Cubra-me!

Cubra me,
Com o teu silencioso cuidado.
E eu me abrigarei na confiança,
De que sempre estarás comigo.



Luciana Leitão